(44) 99949-3599  |  /andrealmenaraoficial


Morador de Sarandi preso em Ponta Grossa confessa crime bárbaro do Jardim Ouro Verde


Está preso na cidade de Ponta Grossa, Francisco Wellington Pereira da Silva, de 28 anos, suspeito de ter praticado um crime de homicídio contra a dona de casa Isabel dos Santos, de 51 anos. A vítima foi estuprada e depois estrangulada dentro de sua casa no Jardim Ouro Verde no dia 9 de setembro. Francisco Pereira da Silva foi preso na cidade de Ponta Grossa por outro crime.

O setor de inteligência da Polícia Civil de Sarandi estava investigando um segundo suspeito e descobriu que Francisco estava detido em Ponta Grossa. Uma equipe de investigadores deslocaram até a carceragem de Ponta Grossa onde o suspeito acabou confessando e contando com detalhes como matou Isabel.

Durante o depoimento, o homem disse que ficou aproximadamente dois anos mantendo uma relação amorosa com Isabel. O suspeito relatou que um dia antes entrou na casa com autorização dela, tomou um banho, e depois deu uma "gravata" no pescoço matando a mulher. Francisco afirmou que depois de morta estuprou a mulher sem uso de preservativo durante cinco minutos ejaculando na vagina da vítima.

O suspeito depois de praticar sexo oral e vaginal com o cadáver foi ao banheiro e tomou outro banho. No depoimento o interrogado diz que amava a mulher, e que Isabel falava constantemente que iria se casar com Francisco. O suspeito afirmou também que o filho adotivo da vítima que é uma criança estava dormindo quando praticou o assassinato.

"Após matar Isabel, roubei dois celulares que estavam na casa e uma bicicleta que depois eu vendi em Marialva para comprar álcool e drogas", disse Francisco. A Polícia Civil perguntou ao suspeito se o mesmo cometeu o crime sob efeito de álcool ou drogas. O interrogado disse que antes de ir para a casa de Isabel que tomou cachaça e usou entorpecente.

O repórter André Almenara por telefone conversou por telefone com o delegado da Polícia Civil de Sarandi, Adão Rodrigues, que por sua vez confirmou que pediu para a Justiça a prisão de Francisco para que o suspeito possa ser trazido para Sarandi na semana que vem. O delegado ainda falou que o primeiro suspeito que foi preso chamado Luiz da Silva Lemos, de 41 anos, que é de Sarandi, mas que foi preso em Osasco, São Paulo, poderá ser colocado em liberdade nas próximas horas por conta do depoimento de Francisco que confessou o crime.

Luiz era conhecido de Isabel, foi preso dias depois do crime, negou qualquer participação na morte da vítima, e aceitou fazer o exame de DNA. Os comparativos genéticos de Luiz e de Isabel foram coletados e encaminhados para o Instituto de Criminalística de Curitiba, mas o resultado não ficou pronto.

O advogado criminal de Sarandi, Emerson Farias, que defende Luiz da Silva Lemos, disse por telefone ao repórter André Almenara que já pediu a revogação da prisão de seu cliente, e que aguarda a decisão da Juíza de Sarandi o alvará de soltura de Luiz da Silva Lemos. 


Redes Sociais:

Compartilhar no facebook


Copyright © 2013-2017 Logicomp Soluções e TI & Logicomp Studio. Todos os Direitos Reservados